Saúde da Mulher

 

Incontinência urinária

O tratamento visa reverter esta situação clínica, identificando a causa do problema e tratando com recurso a diversas técnicas especificas.
Os tratamentos são realizados num ambiente privado e descontraído, recorrendo à Terapia Manual, Electroterapia com sonda e/ou elétrodos de superfície e Biofeedback

Segundo dados de 2008 (estudo da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto) com base na definição proposta pela International Continence Society, em Portugal Continental, a prevalência de incontinência urinária foi 21,4% nas mulheres e 7,6% nos homens.

As prevalências mais elevadas de incontinência urinária, em cada sexo, foram observadas nas mulheres de 60 a 79 anos (26,0%) e nos homens com mais de 79 anos (21,6%);

A prevalência de incontinência urinária diagnosticada por um médico foi 4,9%, sendo 6,1% nas mulheres e 3% nos homens;

Observa-se pois uma grande diferença entre a prevalência de incontinência urinária autodeclarada e a existência de diagnóstico médico dessa condição (15% nas mulheres e 5% nos homens) realçando a necessidade de educação da população e de alerta dos profissionais para esta patologia.

A Incontinência Urinária pode surgir em qualquer idade, com maior probabilidade na gravidez, no pós-parto e com o avanço da idade. Tem um grande impacto em termos sexuais, sociais e psicológicos. Está associada a uma disfunção dos músculos do pavimento pélvico (períneo).

Através da Fisioterapia é possível criar um programa de reabilitação perineal, que irá contribuir para melhorar a qualidade de vida e para a reeducação da frequência das perdas urinárias, nas mulheres com incontinência urinária ligeira a moderada.

Associada a este trabalho específico da musculatura do pavimento pélvico, associamos técnicas de terapia manual, técnicas hipopressivas e Pilates.
 

Ginástica Abdominal Hipopressiva

Técnica que envolve a região abdominal e pélvica com o objectivo de diminuir a pressão intra-abdominal e fortalecer os músculos internos do abdómen, fortalecer o períneo e reduzir a compressão dos discos intervertebrais na região lombar. Os benefícios da GAH são:

  • Melhora a postura e diminui a dor lombar;
  • Fortalece e tonifica a parede abdominal;
  • Previne e trata a incontinência urinária;
  • Previne e melhora as ptoses viscerais (descida de órgãos);
  • Estimula os movimentos peristálticos do intestino facilitando a função intestinal;
  • Melhora a actividade sexual através da tonificação do pavimento pélvico, aumento da circulação e sensibilidade ao toque no períneo.

Pré e Pós Parto

Durante a gravidez vários fenómenos contribuem para a disfunção do pavimento pélvico, surgindo muitas vezes queixas de perdas de urina. Saiba como manter em boa forma esta musculatura, que irá igualmente facilitar o trabalho de parto e o parto.

Após o nascimento do bébé (às 6-8 semanas), a mulher beneficia de uma avaliação por parte de um Fisioterapeuta especializado, para se dar início à reabilitação pélvica, com atenção às cicatrizes existentes, fraqueza muscular e queixas de dor localizada com implicações na sua vida sexual futura.

O Pilates é também utilizado como recurso para a preparação para o parto e na recuperação do pós-parto.