O que são os meniscos?


O menisco é uma estrutura de fomato semicircular, semelhante a meia-lua, composta por cartilagem fibrosa (fibrocartilagem) e funciona como um amortecedor dentro do joelho.  

Além da sua função amortecedora, os meniscos também atuam na estabilização do joelho, são importantes na sua nutrição e lubrificação, são fontes de informação proprioceptiva, e são os principais responsáveis pelo aumento da congruência articular e pela transmissão e absorção de cargas no joelho.

Cada joelho tem dois meniscos, um do lado interno (medial) e outro do lado externo (lateral). O menisco lateral é mais móvel, já o menisco medial está mais fixo na superfície da tíbia e sendo menos móvel, está mais propenso à lesão.


Quais as principais causas de lesão dos meniscos?

As lesões do menisco podem ser de duas origens:

- Traumáticas: após entorse do joelho, ocasionalmente na transição da flexão completa do joelho para a hiperextensão, ou por um mecanismo de hiperflexão forçada.

 - Degenerativas: surgem com o tempo e alguns movimentos repetidos.

As lesões traumáticas/agudas são frequentes no contexto desportivo.  A junção dos movimentos do joelho em flexão com o pé fixo no chão, com ações de pivoting, desaceleração e mudanças de direção predispõe os atletas a lesões no menisco. O futebol e o ténis são bons exemplos disso, assim como o ski e artes marciais.

As lesões degenerativas são lesões diferentes, que se vão desenvolvendo ao longo do tempo. Normalmente não há história de um traumatismo e o início da dor e desconforto é gradual. A idade é um fator de risco influente para o surgimento de lesões meniscais degenerativas, sendo os restantes associados a tarefas que envolvam agachamento ou atividades com elevado grau de flexão do joelho. Um fator que também não pode ser menosprezado é o índice de massa corporal, pelo aumento da carga imposta aos meniscos.


Quais são os tipos de lesão?

As lesões podem ser descritas como sendo completas ou incompletas, estáveis ou instáveis e de vários padrões. Quanto à sua morfologia, podem ser verticais, longitudinais (incluindo “alça de cesto”, onde o fragmento rasgado pode bloquear a extensão total da articulação do joelho), oblíqua/bico de papagaio ou “flap”, lesões radiais e horizontais.

Esta informação é nos dada apenas por exame imagiológico, como a Ressonância Magnética (RNM). A RNM tornou-se o exame ‘’gold-standard’ no diagnóstico por imagem de lesão meniscal e auxilia não só na identificação do local e do tipo de lesão do menisco, como também de possíveis lesões associadas, como de ligamentos ou cartilagem.



Quais os sintomas de uma lesão do menisco?

Os sintomas estarão ligados ao tipo e a intensidade da lesão sofrida.  A lesão do menisco pode ser dividida em parcial ou total, e esta informação é nos dada apenas por exame imagiológico, como a Ressonância Magnética.

A dor do menisco é tipicamente bem localizada na região de dentro do joelho, se existir lesão do menisco medial. Ou localizada do lado de fora se for uma lesão do menisco lateral. Normalmente a dor aumenta em determinados movimentos como agachar ou cruzar as pernas, e a palpação da interlinha articular do joelho é dolorosa do lado da lesão. Outros sintomas comuns são o inchaço, e bloqueio do joelho e a sensação de falha do joelho ao andar (sensação de giving-away).

Lesão meniscal: Cirurgia vs Fisioterapia?

As lesões do menisco têm sido amplamente estudadas e existe uma tendência mundial em preservá-los ao máximo possível, pois sua remoção está ligada a altas taxas de degeneração da cartilagem do joelho e, posterior evolução para uma condropatia. Deve ser tentada ao máximo a preservação dos meniscos, recorrendo a técnicas cirúrgicas de sutura e reparação.

A recomendação atual consiste na realização inicial do tratamento conservador com a Fisioterapia, uma vez que não parece haver evidência comprovando que a realização da cirurgia seguida de reabilitação seja superior à reabilitação sozinha.

Os estudos mais recentes apontam para a Fisioterapia como primeira opção de tratamento na lesão meniscal. Devendo a cirurgia ser considerada quando não atingimos os resultados pretendidos com a Fisioterapia. 

Todo o processo de reabilitação e decisão deve ser mediado pelo Fisioterapeuta, Ortopedista e Paciente.


No que consiste a Fisioterapia na Lesão Meniscal?

A Fisioterapia consiste num conjunto de técnicas com os seguintes objectivos: 

- Optimizar a biomecânica do joelho e membro inferior como um todo;

- Ganhar mobilidade articular;

- Fortalecer os músculos do membro inferior;

- Drenar o edema, reduzir dor e inflamação local;

- Optimizar o padrão de marcha e corrigir comportamento biomecânico do paciente;

- Ajudar no regresso e integração à actividade desportiva;

- Acelerar o processo de recuperação.


Tem alguma dúvida? Entre em contacto connosco!