No pós-operatório de uma mastectomia podem ocorrer complicações como diminuição dos movimentos do ombro – limitando actividades diárias simples, – fibrose, linfedema ou diminuição da sensibilidade no local. Um bom e atempado acompanhamento de fisioterapia, pode acelerar o processo de recuperação e diminuição da dor associada.

Nestes casos a fisioterapia actua com exercícios que ajudam no combate à dor, no aumento do grau de movimento, no combate à fibrose e a devolver a sensibilidade normal. A capacidade de desempenhar actividades diárias e capacidade para o trabalho promovem, consequentemente, a melhoria da satisfação pessoal.

A Fisioterapia pode ser iniciada no primeiro dia de pós-operatório, respeitando o limite da dor e desconforto, e pode prolongar-se até 2 anos, de acordo com os casos em tratamento.

Na Fisioterapia após mastectomia podem ser aplicadas as seguintes técnicas:
  • Terapia manual para aumento da amplitude da articulação do ombro;
  • Alongamentos;
  • Exercícios de fortalecimento;
  • Exercícios para ativar a circulação linfática;
  • Drenagem linfática manual no braço;
  • Reeducação postural, entre outros.